quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Sonhei com as Zolimpíadas (do Sertão)

Chegando no meu sertão
Foi o maior espetáculo
Que se viu na região
Tinha gente que só a peste
Lá das brenhas do nordeste
Chegando de caminhão

No desfile de abertura
A bandeira nordestina
Toda feita de retalhos
Pelas mãos de Severina
E eu ali, de camarote
O bode virou mascote
A tocha era a lamparina

A nossa delegação
Para conquistar os louros
Desfilou de guarda-peito
Gibão e chapéu de couro
E enfrentando a batalha
Conquistou muitas medalhas
de bronze, de prata e ouro

Quem carregou a bandeira
Foi Ritinha de Zé Bento
Já a pira foi acesa
Por Tonin de Livramento
Nosso atleta principal
E recordista mundial
Do hipismo de jumento

Antes das competições
Um lanche bem reforçado
Com buchada, cajuína
Rapadura e milho assado
Fava verde com galinha
Sarapatel com farinha
Angu com bode guisado

Nas águas do Velho Chico
As provas de natação
Os pulos ornamentais
De cima de um paredão
Ginástica num terreiro
Remo e vela num barreiro
E judô num palhoção

A maratona, seu moço
Era por nossas estradas
Atravessando os riachos
Nas veredas, nas quebradas
Da paisagem nordestina
Ao som do galo-campina
E da patativa golada

Na competição de tiro
Os velhos de bacamarte
Pé-de-bode, granadeira
Vestimenta de zuarte
E davam cada pipoco
Do sujeito ficar môco
De se ouvir em toda parte

A prova de atletismo
Conhecida por carreira
De cem e duzentas léguas
Com barreira e sem barreira
Foi por dentro do cercado
Atravessando um roçado
Pelo meio das capoeira

Os saltos, lá no sertão
Eram provas de “pinote”
De riba de uma barreira
Num pedaço de caixote
O cabra de lá pulava
Num açude tibungava
Caindo feito um caçote

O jogo de futebol
Se jogava sem chuteira
Num campo de chão batido
No alto de uma ribanceira
As traves de barandão
O campo sem marcação
No calor e na poeira

Levantamento de peso
Quem ganhou foi Sebastião
Cinco sacos de Farinha
Três arrobas de algodão
Com esse peso todinho
Ele se ajudou sozinho
E se sagrou campeão

O arremesso de pedra
Quem ganhou foi Expedito
No tiro com baladeira
Carmelita fez bonito
E Já na queda de braço
O ouro foi pra Inaço
E a prata pra Benedito

Fizeram de três batentes
Pódio pra premiação
Com uns ramos de onze-horas
Era a coroação
E numa latada de lona
Asa branca na sanfona
Completava a emoção

E assim eu me acordei
Com orgulho do sertão
Desse povo vencedor
De tão grande coração
De história tão sofrida
Que nas batalhas da vida
Nasceu pra ser campeão

Autor: Djacy Veras

Associação comunitária seleciona jovem para assessorar ações do Bahia Produtiva


A Associação do Brejo Grande de Cima, com sede em Miguel Calmon/BA, abriu inscrições para o processo seletivo que visa contratar um Agente Comunitário Rural, que irá prestar serviços no âmbito de ações desenvolvidas pelo Projeto Bahia Produtiva, por meio do convênio n°229/2016, firmado com a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional. Para concorrer à vaga, o/a jovem com idade entre 18 e 29 anos deve ser residente na comunidade Brejo Grande de Cima ou no seu entorno, ter afinidade com agricultura familiar e experiências relacionadas à cadeia produtiva da Ovinocultura, além de atender outros pré-requisitos descritos no edital de seleção.
O envio de currículos e da documentação necessária para a primeira etapa de avaliação é até o dia 2 de setembro e deverá ser endereçado à Associação Brejo Grande de Cima, localizada na Rua do Bambú, distrito de Brejo Grande, Miguel Calmon/BA. Os/as candidatos devem, por exemplo, comprovar a conclusão de curso do nível médio ou médio técnico, ter Carteira Nacional de Habilitação na categoria A (motos) e descrever, em uma carta de intenções, os motivos de interesse em participar do processo seletivo, especificando as experiências nas áreas de economia solidária, agricultura familiar, assistência técnica ou gestão de projetos sociais e esclarecer se possui disponibilidade para prestar serviços de assessoria. A jornada de trabalho será de 40 horas semanais.
A seleção será realizada em duas etapas. Após a análise do currículo e documentos, os/as candidatos/as classificados/as serão entrevistados. O resultado final está previsto para ser divulgado no dia 12 de setembro. Um dos objetivos do processo seletivo para contratação de Agente Comunitário Rural é contribuir para a permanência da juventude no campo. Confira abaixo o edital na íntegra com os detalhes sobre a seleção:







quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Lançamento de publicação


Nesta sexta (26), será o lançamento da publicação de Ademir Carmo que reúne cordéis sobre temas relacionados, principalmente, ao trabalho e modos de vida rural. Agricultor, Ademir é também integrante do Projeto ATER, desenvolvido pela #COFASPI por meio da SDR do Governo da Bahia, que desenvolve ações de assistência à agricultura familiar, acesso a políticas públicas e incentivo de práticas agroecológicas.

O quê? Lançamento da publicação “O sonho de um lavrador”
Quando? Sexta-feira, dia 26/08 às 19h
Onde? Colégio Pedro Daltro, no distrito Junco – Jacobina/BA

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Aprovação do Projeto de Lei n° 21.718/2015

Representantes de organizações vinculadas à agricultura familiar, a exemplo da ‪#‎COFASPI‬, e militantes de movimentos sociais estiveram hoje (23) na Assembleia Legislativa da Bahia, onde foi votado e aprovado o Projeto de Lei (PL) n° 21.718/2015 sobre a criação da Política Estadual de Convivência com o Semiárido.
‪#‎SemiáridoVivo‬
#COFASPI na mobilização

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Feira agroecológica é inaugurada na Praça Cleriston Andrade, em Filadélfia/BA

 A feira, que será realizada toda sexta, tem a parceria da REFAS e COFASPI
Frutas, verduras e raízes foram alguns dos produtos apresentados durante inauguração da feira agroecológica de Filadélfia/BA, na manhã da última sexta (12).  Agricultoras e agricultores familiares expuseram alimentos diversificados durante a atividade realizada pela Rede de Feiras Agroecológicas Solidárias do Piemonte (REFAS) e a Cooperativa de Trabalho e Assistência à Agricultura Familiar Sustentável do Piemonte (COFASPI), com apoio da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte do Governo da Bahia; bem como, a colaboração do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Filadélfia/BA.
Na feira agroecológica são comercializados alimentos saudáveis
Semanalmente serão comercializados, em barracas na feira caracterizadas pela cor verde das lonas, alimentos isentos de agrotóxicos que são produzidos por meio da relação harmônica com a natureza. A iniciativa contribui para preservar o meio ambiente, fortalecer a economia local e melhorar a qualidade de vida de famílias agricultoras, garantindo soberania alimentar e aumento da renda mensal. Além de permitir que consumidoras e consumidores tenham acesso a alimentos produzidos pelas agricultoras e agricultores de forma saudável.
A maioria das famílias que comercializam alimentos na feira agroecológica de Filadélfia/BA recebeu tecnologias sociais para captação e armazenamento de água da chuva, por meio do Projeto Mais Água I executado pela Cofaspi em convênio com a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) do Governo do Estado da Bahia, a partir de recursos do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Uma das agricultoras contempladas, Neusa Silva, mora na comunidade Riacho das Pedrinhas, e conta que ampliou a produção agroecológica em 2013, ano em que foi implementada uma cisterna enxurrada na propriedade onde vive com a família.
Com admiração, ela gosta de ficar observando os plantios de alface, coentro, couve, quiabo, milho e outras produções que desenvolve. Na maioria, costuma utilizar como adubo apenas o esterco de bode e precisa regar os vegetais duas vezes ao dia. Um trabalho que para ela demanda esforços, recompensados com a garantia do consumo saudável para a família e a venda do excedente de produtos. A comercialização também vai ocorrer na feira agroecológica do município, toda sexta na Praça Cleriston Andrade, com a parceria do Projeto Apoio a REFAS em que a COFASPI desenvolve ações de assistência técnica a famílias que produzem alimentos saudáveis.

Assistência – Com o intuito de fortalecer a gestão e comercialização de produtos agroecológicos em municípios do Piemonte da Diamantina e Piemonte Norte do Itapicuru, a COFASPI desenvolve o Projeto Apoio a REFAS em Jacobina, Miguel Calmon, Caém, Saúde, Ourolândia, Mirangaba, Capim Grosso, Filadélfia, Ponto Novo e Caldeirão Grande, na Bahia, onde famílias agricultoras têm acompanhamento técnico. Além de participar de atividades para fomentar a formalização da REFAS e/ou o aprimoramento de práticas agroecológicas, incentivando a produção diversificada com o comércio justo e solidário.


Texto e fotos – Luna Layse Almeida (Ascom/COFASPI)

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Feira em Umburanas/BA

Integrantes da REFAS Piemonte e ‪#‎COFASPI‬ participam da feira, que começa nesta sexta (12). Prestigie também o evento, em Umburanas/BA, que terá exposição de alimentos e artesanatos da agricultura familiar. A programação segue até sábado (13)!



quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Feira agroecológica

Em Filadélfia/BA, agricultoras e agricultores familiares que se dedicam ao trabalho rural, inauguram no dia 12 de agosto uma feira com comercialização de alimentos sem venenos, produzidos com base em princípios da agroecologia e economia solidária, respeitando a harmonia da natureza. A feira será realizada toda sexta, com venda de produtos da agricultura familiar, como frutas, legumes, verduras, raízes e outros. Aproveite para conhecer e compre de quem produz alimentos saudáveis! 🍎🍊🍉🍅


segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Mais Água - auditoria de tecnologias desenvolvidas pela COFASPI em convênio com a SJDHDS

Famílias que têm tecnologias para armazenar água de produção desenvolvem produções agroecológicas
O excedente de alimentos é comercializado, aumentando a renda mensal das famílias agricultoras

           Durante a primeira semana do mês de agosto, foi realizado o levantamento de dados para uma auditoria do Projeto Mais Água I nas cidades de Caém, Caldeirão Grande, Ponto Novo, Filadélfia, Saúde e Pindobaçu, na Bahia. Localidades em que a COFASPI desenvolveu, entre os anos 2012 e 2015, a implementação de tecnologias para captação e armazenamento de água da chuva para produção no Semiárido e ações de incentivo à agroecologia, por meio de convênio com a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) do Governo do Estado da Bahia, a partir de recursos do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.
Nos municípios, foram realizadas visitas em algumas das propriedades onde vivem famílias agricultoras que receberam tecnologias do Projeto Mais Água I. De acordo com o técnico Marcos Souza da SJDHDS, um dos objetivos desse acompanhamento é verificar se cisternas, barreiros e tanques de pedra, por exemplo, continuam com boa estrutura física para o armazenamento de água. “Também observamos se os beneficiários estão plantando”, explicou ao dar ênfase à necessidade de garantir soberania alimentar para as famílias com o uso da água armazenada. O técnico adiantou ainda que, nos lugares onde esteve acompanhando as tecnologias implementadas pela COFASPI, pôde observar que estão em perfeito estado e as famílias estão fazendo bom aproveitamento da água para produzir alimentos.
O animador de campo Valdinei Oliveira e o técnico da SJDHDS Marcos Souza 
Uma das visitas foi realizada na comunidade Capim, em Ponto Novo/BA. Onde o agricultor Jurandir Almeida mora com a esposa Rosanete Alves e os filhos do casal. No quintal da residência da família, muitas leiras estão carregadas de hortaliças e outras estão em fase de preparo do solo para fazer o replantio. “Tem que lutar com tudo”, exclama o agricultor que utiliza os produtos para o consumo familiar e o excedente comercializa na feira da cidade, realizada toda sexta. Ele conta ainda que já chegou a levar cerca de 100 pés de hortaliças para vender, o que contribui para a renda mensal. “Eu trabalho pra mim e minha família”, conclui ao destacar a importância da atividade agroecológica e da cisterna que tem na propriedade para propiciar autonomia.
Em outra localidade próxima, vive a família da agricultora Boaventura Silva, que desenvolve na comunidade Várzea do Moura o cultivo de hortaliças (cebola, cebolinha, coentro e alface) próximo à cisterna enxurrada, implementada por meio do Projeto Mais Água I. “Nunca comprei na feira cebola e coentro”, conta ao esclarecer que esta é umas das principais produções que não falta à mesa da família. Também mostra na roça, fruteiras como coco, caju e o pé carregado de laranjas que são variedades que recebeu durante o Mais Água I.

Ao todo, por meio do Projeto, foram implementadas 304 cisternas de produção, 3 barragens subterrâneas, 487 barreiros trincheira familiar, 26 barreiros trincheira comunitário, 54 limpezas de aguadas, 100 quintais produtivos, dentre outras ações, a exemplo de 148 capacitações de famílias com base em fundamentos da agroecologia. Até junho de 2015 foram beneficiadas 900 famílias. Período em que o convênio foi ampliado através do aditivo do Projeto Mais Água I para atender outras 210, totalizando 1.110 beneficiários/as.

O agricultor Jurandir Almeida ressalta que ganhou autonomia com a cisterna de produção
A agricultora Boaventura Silva mora em Ponto Novo/BA

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Representantes da COFASPI participaram de apresentação do Projeto Pró-Semiárido, em Jacobina/BA

A apresentação do projeto foi realizada em Jacobina/BA
Na última terça-feira (26), foi realizada em Jacobina/BA a apresentação do Pró-Semiárido, projeto da Secretaria de Desenvolvimento Rural do Governo da Bahia, executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR). A cerimônia contou com a presença de agricultores/as familiares, além de representantes de poderes públicos, associações comunitárias e entidades parceiras, a exemplo da Cooperativa de Trabalho e Assistência à Agricultura Familiar Sustentável do Piemonte (COFASPI).
Durante o evento, realizado no auditório da Universidade do Estado da Bahia, em Jacobina/BA, o diretor executivo da CAR, Wilson Dias, destacou que o Pró-Semiárido irá abranger 32 municípios, valorizando experiências já desenvolvidas pelas famílias rurais com a assistência técnica e apoio no acesso a políticas públicas que possam fortalecer o trabalho das comunidades. “O projeto pretende gerar condições de renda e melhorar a qualidade de vida no Semiárido”, completou.
Agricultores familiares e parceiros do Pró-Semiárido estiveram na cerimônia
Nas ações de assistência técnica rural, a COFASPI será uma das colaboradoras do Pró-Semiárido em comunidades do Território Piemonte da Diamantina. “O nosso papel é assessorar, elaborar um diagnóstico com levantamento de dados nos primeiros meses para identificação dos agricultores/as e fazer um trabalho com as comunidades rurais para conhecer suas potencialidades e fragilidades”, explicou o diretor-presidente da COFASPI, Leonardo Lino.
             A cooperativa firmou convênio com a Secretaria de Desenvolvimento Rural do Governo da Bahia, por meio da CAR, no final do mês de maio de 2016, e fará o acompanhamento de aproximadamente mil famílias no Piemonte da Diamantina. Para isso, irá contar com uma equipe formada por oito técnicos/as agrícolas e um/a profissional das ciências agrárias na coordenação do projeto, além de ter o auxílio técnico/operacional da CAR.

Projeto - O Pró-Semiárido é resultado de um acordo entre o Governo da Bahia e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) voltado ao fomento da segurança hídrica, produção agroecológica, comercialização de produtos da agricultura familiar e a agroindustrialização, além do fortalecimento de grupos produtivos no Semiárido.

Texto e fotos: Luna Layse Almeida – Ascom/COFASPI