quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Glifosato provoca alterações no DNA

Matéria originalmente publicada em: http://www.nossofoco.eco.br/agrotoxicos/glifosato-provoca-alteracoes-no-dna/

O glifosato está relacionado a  várias doenças, incluindo diabetes, obesidade, asma, doença de Alzheimer, esclerose lateral amiotrófica (ALS), na doença de Parkinson, entre outras.

Imagem: reprodução do site nosso foco

 Uma revisão da literatura científica liga o glifosato, um dos herbicidas mais populares nos EUA ( e no mundo) e o ingrediente ativo do Roundup, a uma ampla gama de doenças crônicas causadas  através de um mecanismo que modifica o funcionamento do DNA, adicionando um nova dimensão ainda mais preocupante para a classificação do câncer por herbicida pela Agência Internacional de Investigação do Câncer.

De acordo com a mais recente revisão,  Glifosato para a doença moderna V: analógico de aminoácidos de glicina em diversas proteínas, conduzida por renomados cientistas independentes, tais como:  Anthony Samsel, Ph.D. e Stephanie Seneff, Ph.D., cientistas Do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), atos de glifosato como um análogo da glicina que incorpora em peptídeos durante a síntese de proteínas.

Neste processo, altera um número de proteínas que dependem de glicina para conservar seu funcionamento adequado.

De acordo com os autores, a substituição da glicina por glifosato resulta na sua relação com o surgimento de várias doenças, incluindo diabetes, obesidade, asma, doença de Alzheimer, esclerose lateral amiotrófica (ALS), na doença de Parkinson, entre outras.

Glicina, um pequeno aminoácido comumente encontrado em proteínas, tem propriedades únicas que suportam a flexibilidade e a capacidade de ancorar a membrana do plasma ou do citoesqueleto.

Esta nova evidência biológica, tratados em conjunto com os dados de correlação,  tornam convincentes que a toxicidade do glifosato  altera grande parte do aminoácido Glicina, de acordo com o estudo.

Os autores constataram  que o glifosato, como um análogo do aminoácido glicina, pode ser incorporado em cadeias polipeptidicas durante a síntese de proteínas.

Ao fazê-lo, provoca um impacto sobre a estrutura e função das proteínas. As proteínas  dobram-se, e a glicina é uma pequena molécula que frequentemente  é encontrada nos lugares dobráveis. Uma vez que o glifosato é muito maior,  impede que a molécula de proteína se dobre adequadamente, levando à destruição da função de muitas proteínas e com funções essenciais em processos reguladores do metabolismo.

O artigo cita inúmeras  maneiras de como que afeta os seres humanos e outros organismos. De acordo com o estudo, as consequências desta ação pode levar a liberação de ácidos graxos prejudiciais,  levando à :

–  Obesidade
– Diabetes
– Defeitos do tubo neural
– Autismo
– Câncer
– Doenças Pulmonares
– Doenças auto-imunes.

Stephen Frantz, Ph.D.,  cientista e biologista explica assim:
“Quando uma célula está tentando formar proteínas, pode pegar glifosato em vez de glicina para se formar,  gerando uma proteína danificada. Depois disso, é o caos na medicina. Onde o glifosato substitui a glicina, a célula já não pode realizar transações naturais como de costume , e como consequência geram muitas doenças imprevisíveis e distúrbios como resultado".

O lançamento deste estudo vem na esteira de várias outras discussões e ações sobre o glifosato que tiveram lugar ao longo das últimas semanas.

No mês passado, em uma reunião no Congresso Americano promovida pela U.S Representante Ted Lieu, uma delegação de cientistas independentes, incluindo autores deste estudo, apresentaram suas descobertas, instando os legisladores a solicitar à EPA para proibir o RoundUp, herbicida carro-chefe da Monsanto.

O Beyond Pesticides  participou do painel, prestando testemunho sobre o impacto do glifosato no solo, bem como o risco que representa para os seres humanos, animais e meio ambiente.

Seguindo o briefing do Congresso, os cientistas falaram em uma reunião fechada com a Environmental Protection Agency (EPA), explicando as razões bioquímicas e fisiológicas  do porque a exposição ao glifosato, o ingrediente ativo do RoundUp, está ligado ao autismo, Alzheimer, câncer, defeitos de nascimento, obesidade , intolerância ao glúten, entre outros problemas de saúde.

O Escritório da EPA   – Programas de Pesticidas  e sua equipe se reuniram com os congressistas e forneceram uma visão geral do processo de registro da EPA para o glifosato.
A  EPA indicou que grande parte da informação fornecida pode não impactar sua avaliação atual de risco para o glifosato,  mas  que talvez em algum momento em 2017.

Glifosato, criado pela Monsanto, é apresentado como produto de  “baixa toxicidade” química e “mais seguro” do que outros produtos químicos por parte da indústria de agrotóxicos.

Mas  ao contrário disto, o glifosato tem demonstrado impactos negativos sobre os seres humanos e ao meio ambiente.
Dada a sua utilização generalizada tanto em residências como no setor agrícola, a sua toxicidade é uma preocupação crescente.


Apenas alguns meses depois, um estudo publicado no  Saúde Ambiental descobriu que a exposição crônica, em baixas doses de  glifosato levaram a efeitos adversos no fígado e no rim.

O Roundup também pode induzir a formas alteradas de DNA relacionadas com a sua exposição química, afetando os rins e o fígado de ratos, disruptor endócrino da célula  humana sobre o receptor de andrógeno, a inibição da atividade de transcrição sobre os receptores de estrogênio no HepG2, danos ao DNA e efeitos citotóxicos que ocorrem em concentrações bem abaixo de resíduos “aceitáveis” têm sido observados.

O Roundup também prejudica a capacidade das culturas para capturar carbono do ar, um fator importante na luta contra as alterações climáticas.

“O glifosato afeta negativamente o microbioma do solo”, disse Frantz. "E  destrói a capacidade do solo que é  um meio nutritivo para a produção de colheitas. A agricultura regenerativa orgânica ou biológica é a solução para o setor agrícola sustentável e para  a conservação do solo, do ar e da qualidade da água, para não sequestrar carbono que ajuda a mitigar a crise climática. Fazemos um apelo para a proibição do glifosato".

Fontes: Beyond Pesticides , Research Gate, Huffington Post

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Em Jacobina/BA, Governador da Bahia assinou decreto que regulamenta Lei Estadual de Convivência com o Semiárido

 
Foto: Mateus Pereira/GOVBA

Texto: Luna Layse Almeida – Comunicação Cofaspi

 Durante ato político em Jacobina/BA, o governador da Bahia, Rui Costa, assinou, na última quinta-feira (21), decreto que regulamenta a Lei Estadual de Convivência com o Semiárido (13.572/2016). Resultado das lutas e reivindicações das famílias do Semiárido, da sociedade civil e militantes dos movimentos sociais, a Lei é uma conquista que transforma as ações de fortalecimento da região Semiárida em uma política permanente na Bahia.
“Essa lei é uma conquista muito grande nossa (...). Então, o direito à água, sementes crioulas, assistência técnica adequada ao Semiárido, criação de animais adequados ao Semiárido, escola contextualizada que trabalhe os debates e questões do Semiárido, tudo isso passa a ser obrigatório como ação do Estado. O que é muito importante para nós que queremos um Semiárido vivo e queremos que o povo tenha seus direitos respeitados”, explica o coordenador da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA), Naidison Baptista, que participou do ato político.
O decreto especifica a composição do Fórum Estadual de Convivência com o Semiárido e também destaca aspectos sobre a regularização fundiária. Segundo o governador da Bahia, Rui Costa, a aprovação da Lei foi um pedido do povo do campo, entidades e os movimentos sociais para que as ações pelo Semiárido não sejam apenas uma política de governo, mas de estado. “Antigamente usávamos a expressão ‘vamos combater a seca’. E é uma expressão equivocada porque você não combate um clima (...) então, nós temos que criar meios para o ser humano produzir nessas condições climáticas”, declarou o governador da Bahia, Rui Costa. 
Assistência – Famílias agricultoras participaram do ato político, em que também foram feitas assinaturas de convênios com associações comunitárias do Pró-Semiárido para dar continuidade às ações do projeto - resultado do acordo entre o Governo da Bahia e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola, o Pró-Semiárido é executado pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Rural (CAR), e visa promover assistência técnica rural e auxílio no acesso a políticas públicas, além de fomentar o fortalecimento de grupos produtivos na região.
            Para a nova etapa do projeto, em que serão executados planos de investimentos em Territórios Rurais do Pró-Semiárido, serão feitos contratos com organizações de assistência técnica continuada (ATC). Segundo o resultado da chamada pública de ATC nº 001/2017, divulgada pela CAR, uma das organizações selecionadas é a Cooperativa de Trabalho e Assistência à Agricultura Familiar Sustentável do Piemonte (COFASPI) – que na etapa inicial de diagnóstico do Pró-Semiárido acompanhou atividades realizadas em Saúde, Mirangaba, Ourolândia e Umburanas, onde deve dar início às ações dos planos de investimentos, após assinatura de contrato com a CAR/SDR.
Tecnologias sociais – O governador da Bahia, Rui Costa, anunciou investimentos em Jacobina/BA e região, além de fazer a entrega simbólica de duas placas que representam o encerramento do Projeto Mais Água II (convênio 027/2013 – Contratos 060 e 061/2014), executado pela COFASPI, que foi financiado pelo Governo do Estado, por meio da CAR/SDR; e do Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. O projeto – com implementação de tecnologias sociais para captação e armazenamento de água – é resultado de políticas e iniciativas fomentadas pelo governo da presidenta Dilma Rousseff.
            Na região de Jacobina/BA, famílias agricultoras de oito municípios foram beneficiadas pelo Mais Água II. Ao todo foram feitas 336 cisternas calçadão e 240 barreiros trincheira familiares. A COFASPI foi a primeira organização da Bahia a finalizar a implementação dessas tecnologias sociais previstas no convênio 027/2013. Também foram desenvolvidas, durante o projeto, atividades que incentivam a produção agroecológica, economia solidária, segurança alimentar e nutricional, preservação de recursos naturais, troca de experiências entre agricultoras e agricultores, bem como, a valorização sociocultural em comunidades rurais. 

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Festival de arte e cultura vai reunir expressões artísticas em Itaitu

Texto: Divulgação EcoArte Itaitu
 
Com programação gratuita, evento acontece de 29 de setembro a 1º de outubro
 
O distrito de Itaitu, distante 27 quilômetros de Jacobina, recebe de 29 de setembro a 1º de outubro o Festival EcoArte Itaitu. Com programação gratuita, o evento reúne shows musicais, espetáculos teatrais, exposições artísticas, exibições cineclubistas, culinária local e muita beleza.
Vila de Itaitu | Foto: Amilton Mendes
Em sua primeira edição, o festival tem o objetivo de divulgar os produtos das oficinas realizadas no Ponto de Cultura EcoArte Itaitu, projeto da Associação de Ação Social e Preservação das Águas, Fauna e Flora da Chapada Norte (ASPAFF Chapada Norte), proporcionando entretenimento e geração de renda para a comunidade local.
 
“Desde o mês de junho realizamos oficinas de culinária regional, comunicação linguística e artesanato, valorizando a cultura aliada à potencialidade turística deste santuário ecológico. Essas ações culminam no 1º Festival de Gastronomia de Itaitu, programação que acontece dentro do EcoArte”, explica Richard Silva, presidente da Aspaff.
Targino Gondim | Foto: Divulgação
Entre as atrações confirmadas estão o forrozeiro Targino Gondim, a banda Santo Sou, grupo teatral Sarau das Seis, lançamento do Web Doc Itaitu e Tu, lançamento do livro "Offereço meu original como lembrança – Circuito social da fotografia nos sertões da Bahia (1900 – 1950)" do professor Valter de Oliveira, dentre outras que serão divulgadas nos próximos dias.
 
Contemplado por meio da parceria da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia e Ministério da Cultura, o festival é uma das metas do Ponto de Cultura EcoArte Itaitu, iniciativa da Aspaff Chapada Norte e conta com o apoio da Prefeitura de Jacobina e comércio local.
 
 
Mais informações: Richard Silva Contato: (74) 9 8109-4467 / 9 9198-4416

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Homenagem

Finalização da implementação de tecnologias do Mais Água II
A COFASPI foi a primeira organização do Estado da Bahia a finalizar as implementações de tecnologias sociais previstas no convênio 027/2013 – Contratos 060 e 061/2014 - do Projeto Mais Água II, que tem parceria com o Governo do Estado da Bahia, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional/Secretaria de Desenvolvimento Rural; e do Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Famílias agricultoras de oito municípios da Bahia foram beneficiadas pelo projeto. Ao todo foram feitas 336 cisternas calçadão e 240 barreiros trincheira familiares, além de atividades que incentivam a produção agroecológica, economia solidária, segurança alimentar e nutricional, preservação de recursos naturais, troca de experiências entre agricultoras e agricultores, bem como, a valorização sociocultural em comunidades rurais.

Na última quinta (21) em Jacobina/BA, durante ato político, agricultores que receberam tecnologias do projeto foram convidados a participar da cerimônia e foram chamados para receber simbolicamente, do Governador do Estado da Bahia, Rui Costa, e do Secretário da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Jerônimo Rodrigues, placas que representam o encerramento do convênio 027/2013 do Projeto Mais Água II.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Reunião preparatória em Jacobina/BA


VIDA EM PRIMEIRO LUGAR!
“POR DIREITOS E DEMOCRACIA, A LUTA É TODO DIA”

   Será realizada nesta sexta (01), a terceira reunião para dialogar coletivamente sobre o planejamento do Grito dos Excluídos. O intuito é de reunir representantes de entidades, movimentos, organizações, associações, comunidades, igrejas, pastorais e grupos para construir juntos esta ação e refletir - a partir das realidades nacional, regional e local.

Local: Sindicato dos Comerciários - Jacobina/BA
Data: 01 de setembro (sexta-feira)      
Horário:18h


   O intuito do 23° Grito dos Excluídos é valorizar a vida e anunciar a esperança de um mundo melhor, construindo ações a fim de fortalecer e mobilizar a classe trabalhadora nas lutas populares. Denunciar a estrutura opressora e excludente da sociedade e do sistema neoliberal que nega a vida e quer nos impedir de sonhar. Também em cinco verbos a finalidade é mobilizar para: DEFENDER a vida, CONSTRUIR espaços e ações participativas, DENUNCIAR as estruturas opressoras e as injustiças, OCUPAR o que é do povo e COBRAR auditoria da dívida pública. Participe!

Mais informações: cptbonfim@cptba.org.br / (74) 3541-4681

Oficina de Comunicação reuniu representantes de Territórios da Bahia

Oficina de comunicação em Salvador/BA

Participantes e mediadores da oficina
Texto: Comunicação Codeter TIPD

Para construir uma comunicação colaborativa nos Territórios de Identidade da Bahia, a Coordenação Estadual de Territórios (CET) com a Secretaria de Planejamento e parceiros/as reuniu representantes de comunicação dos Colegiados Territoriais do estado para dialogar sobre o fortalecimento de ações. A iniciativa, durante uma oficina de comunicação nos dias 24 e 25 de agosto em Salvador/BA, contou ainda com a discussão sobre estratégias e propostas de mídias para convergir produções de conteúdos sobre os Territórios.
“O princípio da democracia participativa e do empoderamento social nessa comunicação é de fundamental importância para que a agente possa consolidar de fato a política territorial na Bahia e servir de orientação para outros grupos”, enfatizou o representante da CET, Pedro dos Anjos. A oficina também contou com a participação de Marcelo Rocha, da Secretaria de Desenvolvimento Rural da Bahia, e do comunicador Pola Ribeiro.
Encerrada na última sexta (25), a previsão é de que a atividade tenha continuidade em cursos formativos de comunicação para o grupo que irá representar os Colegiados Territoriais da Bahia. O intuito é de que as propostas e estratégias para os Territórios sejam com base na gestão democrática. "(...) O que a gente precisa é que tenha mais democracia. Uma democracia com mais densidade onde o cidadão se sinta representado, porque (...) a democracia precisa de comunicação", destacou o comunicador Pola Ribeiro.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Mutirão Ecológico reuniu moradores de Mangabeira e comunidades vizinhas



                                                                                                              Texto: Farnésio Bráz - COFASPI

O mutirão ecológico realizado domingo (27) na comunidade Mangabeira, em Mirangaba/BA, reuniu dezenas de moradores/as locais e de comunidades vizinhas. A iniciativa foi organizada pelo Grupo de Jovens “Criando e Renovando” com a associação da comunidade Mangabeira, tendo apoio da Cooperativa de Trabalho e Assistência à Agricultura Familiar Sustentável do Piemonte (COFASPI); do Projeto Pró-Semiárido – executado pela da Secretaria de Desenvolvimento Rural por meio Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional do Governo da Bahia; e de diversos parceiros locais.
Iniciado durante a manhã, às 7h, com coleta do lixo da comunidade e instalação de placas educativas e coletores de lixo feito com pneus reciclados (artesanalmente produzidos por jovens), o Mutirão Ecológico contou ainda com café da manhã comunitário. Também foram realizadas palestras para dialogar sobre os temas "lixo, saúde e meio ambiente", com o intuito de fortalecer ações de conscientização ambiental.
Já no turno da tarde, foram feitas orientações sobre documentação de terra e elaboração de Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAPs). Ao final, a noite cultural ficou por conta dos sambas de roda das comunidades rurais, que animaram moradoras e moradores, fortalecendo a identidade cultural do território. Ainda durante a noite, foi realizado um desfile de roupas confeccionadas com material reciclado. 

Confira também o álbum de fotos no facebook da comunidade Mangabeira.

domingo, 20 de agosto de 2017

Versos do poeta Maviael Melo


19 de agosto, em Feira de Santana/BA: Ato de defesa da agricultura familiar e convivência com o Semiárido, organizado pela Articulação Semiárido Brasileiro e o Fórum Baiano de Agricultura Familiar,  durante caravana do ex-presidente Lula pelo Nordeste