terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Encontro reuniu lideranças e representantes públicos do Piemonte da Diamantina

Reunião técnica em Jacobina/BA
Nesta terça (21), em Jacobina/BA, representantes de organizações públicas, movimentos sociais, associações comunitárias, cooperativas e sociedade civil participaram de reunião técnica sobre a organização dos Serviços Territoriais (SETAF) e Municipais (SEMAF) de Apoio à Agricultura Familiar no Piemonte da Diamantina. O encontro foi realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) da Bahia e está previsto para ocorrer nos 27 territórios de identidade do estado.

Participaram da mesa de abertura, representantes de instituições públicas, além da coordenadora do colegiado territorial do Piemonte da Diamantina, Inaiara Nunes, e um dos integrantes do consórcio público do Piemonte da Diamantina, Richard Silva. Durante os diálogos, o presidente da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), Wilson Dias, destacou a possibilidade de fortalecimento das ações para o desenvolvimento rural com a parceria dos municípios, por meio de convênios e projetos.  “O objetivo é que a gente possa ter no mesmo ambiente diversas políticas do meio rural”, completou.

Álbum de imagens:




segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Versos e rimas


Autoria: Morador da comunidade Dionísia, em Mirangaba/BA, Genivaldo é um dos participantes das reuniões e atividades previstas para a etapa inicial do Projeto Pró-Semiárido, que é desenvolvido pela #COFASPI em quatro municípios baianos com apoio do Governo da Bahia, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR)

*Transcrição literal, respeitando a originalidade e marcas culturais da linguagem 

Pesso um pouco de atenção
Para meus versos rima
Para não ser deselegante
É preciso saber falar

Falamos de pontos forte
Que hoje já acabou
O namoro de buraco
Lá atrás já ficou

Mas tem coisas boas
Que é preciso resgatar
Um deles é o samba de roda
Que alegria vem nos dar

Tem tambem a mandioca
Que tem muito valor
Para ser bem cultivada
É preciso ter amor

Olha só o babaçu
Hoje é revolução
Retirado da natureza
E hoje nos da o pão

Sem falar no oricurí
Que chegou para ficar
E com muita atenção
Que nos vamos trabalhar

É preciso compromisso
E também disposição
Para se firmar no projeto
É preciso união

Vamos falar de galinha
Que não da pra dispensa
Com o sem condições
É preciso criar

Agora é a vez dos bovinos
Que muito nos ajudou
Leite queijo e coalhada
Todos nos já aprovou

Temos as ortaliças
Para o tempero criar
Com os quintais produtivos
Vamos agora plantar

Falamos de quase tudo
Pouca coisa faltou
Vamos ser perspectivos
A oportunidade chegou

Falta d’água e vaca velha
Até isso se lembrou
Vamos fazer uma oração
E chamar por nosso senhor

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Oficina sobre qualificação de produtos reuniu agricultoras e agricultores familiares

A atividade foi realizada em Jacobina/BA
Cerca de trinta agricultoras e agricultores familiares da Rede de Feiras Agroecológicas Solidárias do Território Piemonte (REFAS) se reuniram na última terça-feira (31), em Jacobina/BA, para participar de uma oficina sobre qualificação de produtos. A atividade integra ações do Projeto de Apoio à Refas; desenvolvido pela COFASPI com apoio da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (SETRE) da Bahia; para formalizar e fortalecer o trabalho desenvolvido, em municípios baianos, por famílias agricultoras que produzem, consomem e comercializam alimentos saudáveis.
Feirinha agroecológica em Mirangaba/BA
Um dos objetivos do encontro, conforme esclareceu o coordenador Joelton Belau durante a oficina, foi compreender como a qualidade desses alimentos agroecológicos, que chegam à mesa dos/as agricultores, de seus familiares e ainda de outros diversos públicos por meio das feirinhas agroecológicas, pode melhorar a saúde do meio ambiente e dos/as consumidores/as. Dentre os benefícios, as agricultoras e agricultores ressaltam, por exemplo, que são alimentos sem venenos, com maior durabilidade e de sabor diferenciado.
“É tão bom quando as pessoas confiam na gente”, comemorou a agricultora Maria Inês que participa da feirinha realizada nas sextas-feiras, em Caém/BA. Ela conta que alguns dos seus clientes lhe perguntam na feira sobre o modo como produz os alimentos que comercializa. Ao esclarecer, Maria Inês faz questão de explicar sobre o uso do esterco animal para nutrir os solos e dos biofertilizantes naturais para afastar insetos das leiras. Também faz um convite aos visitantes/as da barraca (que tem o símbolo da REFAS e é caracterizada pelas cores verde-escuro das lonas): chama para conhecer a roça onde planta hortaliças diversificadas e ver de perto como é a produção que desenvolve.

Assistência – Com o intuito de fortalecer a gestão e comercialização de produtos agroecológicos em municípios do Piemonte da Diamantina e Piemonte Norte do Itapicuru, a COFASPI desenvolve o Projeto Apoio a Rede de Feiras Agroecológicas em Jacobina, Miguel Calmon, Caém, Saúde, Ourolândia, Mirangaba, Capim Grosso, Filadélfia, Ponto Novo e Caldeirão Grande, na Bahia, onde famílias agricultoras têm acompanhamento técnico. Além de participar de atividades para fomentar a formalização da REFAS e/ou o aprimoramento de práticas agroecológicas.


Texto: Luna Layse Almeida – Ascom/COFASPI
Álbum de imagens:






quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Reuniões e assembleias do Pró-Semiárido são realizadas em Mirangaba/BA

Em assembleia, realizada no centro de Mirangaba/BA, foram reunidos moradores/as de comunidades rurais
No mês de janeiro, moradores/as de comunidades rurais de Mirangaba/BA participaram de reuniões e assembleias do projeto Pró-Semiárido em localidades onde serão elaborados planos de ações para o fortalecimento da assistência técnica, agroindustrialização e produção sustentável. Os encontros são organizados pela Cooperativa de Trabalho e Assistência à Agricultura Familiar Sustentável do Piemonte (COFASPI) - uma das entidades que irá mediar a etapa inicial do projeto, que é resultado da parceria entre o Governo da Bahia, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), e o Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA).
“Vamos escutar as comunidades e desenvolver o que for do interesse de vocês”, ressaltou o coordenador, Robson Aglayton da COFASPI, durante reunião. O intuito é de que o plano de ações seja construído de modo participativo, com o diálogo entre as famílias e apoio da equipe técnica da cooperativa e da CAR. Deste modo, durante as assembleias são formados grupos de interesse, após a escolha coletiva de setores agrícolas e não-agrícolas em que a maioria dos/as moradores/as das comunidades deseja fortalecer. A agricultora Geni Silva, da comunidade Olhos D’água, em Mirangaba/BA, participou de uma das assembleias e optou por integrar o grupo de quintais produtivos com o objetivo de ampliar a criação de animais e produção agrícola que já desenvolve.
Reuniões de grupos na comunidade Paranazinho, em Mirangaba/BA
Nos encontros, também é realizada votação aberta para escolher um/a jovem agente rural do território, responsável pela mobilização das comunidades, além de selecionar associações comunitárias locais para firmar convênios com a CAR e definir uma comissão de moradores/as para acompanhar o andamento das ações previstas para a etapa inicial do projeto, a exemplo de oficinas de planejamento e capacitações. Durante o processo de votação, foram respeitados critérios de gênero, etnia e participação de jovens.


Pró-Semiárido Ao todo, o projeto, com convênios firmados pela Secretaria de Desenvolvimento Rural com dez entidades de assistência técnica, por meio da CAR, abrange 32 municípios. Destes, a COFASPI irá atuar em quatro na etapa inicial: Ourolândia, Mirangaba, Saúde e Umburanas, na Bahia, acompanhando cerca de mil famílias. As ações da cooperativa são desenvolvidas por uma equipe formada por técnicos/as agrícolas e profissionais das ciências agrárias, além de ter o acompanhamento de equipes e supervisores da CAR. 

Texto e fotos: Luna Layse Almeida – Ascom/COFASPI

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Cordelizando

Estamos aqui presente
Para ouvir e falar
A vocês que vem de longe
Queremos nos apresentar

Somos nordestinos forte
E também sonhador
Trabalhamos em prol da terra
Somos pequenos lavrador

Tenho orgulho dessa terra
Quero aqui habitar
A vocês que vem de longe
Mim diga como melhorar

Tem jurema sim
O licuri também
Aroeira e juazeiro
Para irmos bem alem

Aqui canta o sábia
O juriti o gavião
A codorna e a lambu
O bem-tevi e o cancão

Estamos com sede e com fome
Vou agora te falar
Para não morre sofrendo
É preciso planejar.

Autor: Genivaldo Silva é morador 
de uma das comunidades rurais de 
Mirangaba/BA que irá fazer parte 
do projeto Pró-Semiárido


quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Nordestina e nordestino, sim senhora

Texto: Antonia Freitas Maia Neta

Foto: Luna Layse Almeida
Ei, menina, hoje vim prosear de uma gente arretada, de sotaque arrastado de mulher de batalha, de cabra de valor, de menino destemido, de moça com jeito de flor.
Povo guerreiro que convive com a seca, mas que também dispõe da nobreza da flora e da fauna com uma caatinga diversificada.
Vou recitar algumas riquezas, pois se fosse listar num caderno não caberia, passava noite, passava dia, pense numa agonia, é muita coisa de valor: tem mandacaru, palma, jurema, pau ferro, umbuzeiro, tamarineiro, cajueiro, ouxi coisa boa tatu, perdis e nambu, cabra, bode e o danado do jumento, que atravessa muitas léguas, arriégua, carregando seu dono no lombo em busca do sustento, pense que este bicho tem destaque e faz parte da história desse povo de valor.
Sábios, sim senhor: do couro do boi faz o gibão, do sisal a esteira, do barro faz a panela, o jarro e até escultura do doutor.
É com muito amor que essa gente coloca seu tempero na comida. Pense em um cardápio diversificado, alimento bom é o que não falta. É canjica, mungunzá, beijú, rapadura, bolacha de goma, galinhada, farofada, tudo degustado na beira da fogueira, regado aos causos, moda de viola, samba de roda. É um muído agitado, que deixa muito cabra animado.
Lutas, batalhas, a este povo nobre nunca faltou. Força, vigor e resistência é a identidade de um povo com o título de Nordestino, arretados e arretas, sim senhora.

Nota sobre a autora:
Antonia Freitas Maia Neta é técnica em agropecuária

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Alternância

Via Nilde Oliveira

As atividades estão de volta! 📢 👨 👩


Na noite de quarta (18-01-17), as jovens Josiane Santana e Luciana Pereira, alunas do Curso de Formação de Lideranças da Juventude, desenvolvido pela #COFASPI com apoio da Coordenadoria Ecumênica de Serviço, realizou mais uma atividade de alternância, com apoio do Grupo Jovem criado na comunidade como resultado das reflexões provocadas nos participantes do Curso de Formação de Lideranças da Juventude.  O evento ocorreu na sede da Associação dos Pequenos Produtores Rurais de Coqueiros, município de Mirangaba/BA, desta vez para falarmos sobre a atual conjuntura política, economia solidária e geração de renda. A atividade contou ainda com a participação dos diretores da Associação de Barrocão de Cima.


Parabéns aos jovens! Parabéns aos que participaram! Parabéns Far Braz pela a dedicação a este projeto!!






quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Assembleia do Pró-Semiárido reuniu famílias de Mirangaba/BA

Cerca de 200 moradores/as de comunidades rurais participaram das discussões
Na última quarta (18), cerca de 200 moradores/as de comunidades rurais de Mirangaba/BA se reuniram para participar de uma assembleia que integra as ações previstas pelo projeto Pró-Semiárido, resultado da parceria entre o Governo da Bahia e o Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola. A atividade, realizada no povoado Paranazinho, foi organizada pela Cooperativa de Trabalho e Assistência à Agricultura Familiar Sustentável do Piemonte (COFASPI) - uma das entidades que irá mediar a etapa inicial de seis meses do projeto para a construção de diagnósticos participativos e planos de investimentos para geração de renda e melhoria na qualidade de vida em localidades da região Semiárida.
 Encontro em Mirangaba/BA
“O projeto chama a comunidade para construirmos juntos”, ressaltou o coordenador, Robson Aglayton, na abertura da assembleia. O encontro contou com a presença de famílias das comunidades Mangabeira, Riacho, Umbiguda e Paranazinho que formam um dos territórios rurais do Pró-Semiárido em Mirangaba/BA; moradores/as de localidades vizinhas; além de profissionais que integram o projeto a fim de promover diálogos sobre a construção de um plano de ações voltadas para o desenvolvimento rural sustentável.
O intuito também foi de que as famílias participassem de votação aberta para escolher um/a jovem agente rural, responsável pela mobilização do território, além de selecionar associações comunitárias locais para firmar convênios e definir uma comissão de moradores/as para acompanhar o andamento das ações previstas para a etapa inicial do projeto, a exemplo de oficinas de planejamento e capacitações. “É um projeto que pode conscientizar mais as pessoas (...), gerar renda e novos conhecimentos”, ressaltou uma das moradoras do território rural, Janicleide Oliveira.
            Durante o processo de votação, foram respeitados critérios de gênero, etnia e participação de jovens nos diversos grupos formados por moradores/as. As famílias participantes esclareceram ainda quais setores agrícolas e não-agrícolas têm mais interesse de fortalecer, formando grupos de interesses para elaborar planos em áreas específicas, a exemplo da cadeia produtiva da mandioca, que no território rural é um dos potenciais indicados pelas famílias. “No projeto, são fundamentais os pilares sociais, ambiental, e econômico”, esclareceu o técnico social do Pró-Semiárido, Leomárcio Silva.

Pró-Semiárido – Ao todo, o Pró-Semiárido, com convênios firmados pela Secretaria de Desenvolvimento Rural com dez entidades de assistência técnica, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), abrange 32 municípios. Destes, a COFASPI irá atuar em quatro na etapa inicial: Ourolândia, Mirangaba, Saúde e Umburanas, na Bahia, acompanhando cerca de mil famílias. As ações da cooperativa são desenvolvidas por uma equipe formada por técnicos/as agrícolas e outros profissionais das ciências agrárias, além de ter o acompanhamento de equipes e supervisores da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional.

Texto e fotos: Luna Layse Almeida – Ascom/COFASPI

Álbum de imagens:










sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Feira da Agricultura Familiar e Economia Solidária reúne expositores/as do Piemonte da Diamantina


Neste sábado (17), a abertura oficial da Feira da Agricultura Familiar e Economia Solidária do Território Piemonte da Diamantina será às 14h na Praça da Matriz, em Jacobina/BA. Como parte da programação do evento, também serão realizadas ações formativas do Curso de Lideranças da Juventude que iniciam na sexta (16). Já a exposição de produtos da agricultura familiar e economia solidária será no dia 17 de dezembro. A feira é organizada pela Cooperativa de Trabalho e Assistência à Agricultura Familiar Sustentável do Piemonte (COFASPI), com colaboração de parceiros/as e apoio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) da Bahia.
 “A feira é uma oportunidade dos agricultores que se conhecem ‘tá’ se juntando, trocando experiências e mostrar a realidade de cada comunidade. Seja através do produto orgânico, das hortaliças ou artesanato. Eu acredito que isso nos fortalece”, explicou a agricultora Janete Rodrigues que mora em Caém/BA e integra a Associação dos Pequenos Produtores da Fazenda Inácio João. Ela será uma das 60 pessoas que irá expor, a partir das 14h de sábado (17) na Praça da Matriz.
“O intuito da feira é a confraternização, o encontro (...) trazer pessoas novas, com culturas diferentes, com outras formas de agir, pensar e produzir, principalmente, para que esses expositores e expositoras possam se conhecer, formar uma rede de amizade”, esclareceu o diretor-presidente da COFASPI, Leonardo Lino. A mesa de abertura oficial do evento conta com a presença de representantes municipais e de organizações parceiras da cooperativa, a feira também terá trocas de experiências, além de apresentações culturais, com presença de artistas e grupos da região, a exemplo da banda de pífanos da comunidade Pau Ferro, em Jacobina/BA, e do samba de roda do povoado Coqueiros, em Mirangaba/BA, dentre outros/as convidados/as que se apresentam até às 22h.
Já no domingo (18), das 8h ao meio dia, a programação conta com oficinas temáticas gratuitas sobre adequação ao novo marco regulatório das organizações da sociedade civil; sementes crioulas; bem como, agroecologia e produção vegetal. Também será realizada uma roda de conversa sobre crise política e retrocessos nos direitos sociais, a fim de dialogar sobre a conjuntura política no contexto Semiárido e brasileiro. Para participar das atividades não é necessário fazer inscrição prévia.

Texto: Luna Layse Almeida – Ascom/COFASPI

sábado, 10 de dezembro de 2016

Feira da Agricultura Familiar e Economia Solidária do Território Piemonte da Diamantina

Saberes e sabores do Semiárido serão reunidos na Feira da Agricultura Familiar e Economia Solidária do Território Piemonte da Diamantina. O evento previsto para os dias 17 e 18 de dezembro irá ocorrer na Praça da Matriz, em Jacobina/BA. Onde trabalhadoras/es rurais, artesãs/ãos e artistas vão expor e vender alimentos agroecológicos, artesanatos e peças de artes que produzem. Na feira, também haverá apresentações culturais, oficinas e rodas de conversa. Aberto ao público, o evento tem o objetivo de contribuir para o fortalecimento da agricultura familiar e economia solidária. Participe! 

Realização: COFASPI

Apoio: Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) do Governo da Bahia e Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR)

Parceiros/as: Secretaria de Cultura (Secult) do Governo da Bahia, Colegiado de Desenvolvimento Territorial do Piemonte da Diamantina, Associação Afro Brasileira Quilombo Erê, Movimento de Mulheres de Jacobina/BA e Comitê de Enfrentamento Iara Iavelberg

Saiba mais na página do evento no facebook: Clique aqui!