terça-feira, 9 de maio de 2017

Ata de Reunião da Comissão Eleitoral da COFASPI


CPT: Lançamento do “Caderno de Conflitos” em Senhor do Bonfim e Jacobina


Anualmente, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) publica o Caderno de Conflitos no Campo para provocar diálogos na sociedade sobre conflitos agrários (por terra/território, água, diretos), além de dar visibilidade à violência no campo, contra trabalhadores e trabalhadoras. A edição 2016 da publicação foi lançada em Brasília no mês de abril. Em outras regiões do Brasil, onde a CPT atua, também é realizado o lançamento do Caderno de Conflitos no campo, com apoio de parceiros/as. Além de apresentar a publicação, há o intuito de aprofundar o debate sobre a conjuntura atual do país, no contexto de forte criminalização das lutas populares, dos movimentos e organizações sociais.

Confira a agenda de lançamento em Senhor do Bonfim e Jacobina/BA:

Senhor do Bonfim
10/05/2017: 18h30min no auditório da Universidade do Vale do São Francisco (UNIVASF)
15/05/2017: 9h no auditório do IFBAIANO

Jacobina
12/05/2017: 14h no auditório da Universidade do Estado da Bahia (UNEB)


terça-feira, 2 de maio de 2017

A agricultora Selma Carvalho de Umburanas/BA faz homenagem às mulheres



O Pró-Semiárido é resultado de um acordo entre o Governo da Bahia e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) voltado ao fomento da segurança hídrica, produção agroecológica, comercialização de produtos da agricultura familiar e a agroindustrialização, além do fortalecimento de grupos produtivos no Semiárido.

Ao todo, o projeto, tem convênios firmados pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) da Bahia com a COFASPI e outras nove entidades de assistência técnica, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR).

sábado, 29 de abril de 2017

28 de abril: Manifestação em Jacobina/BA no dia da greve geral

Protestos em ruas do centro de Jacobina/BA
“Sou trabalhador/a, defendo meus direitos com orgulho e com amor!”. Músicas e gritos de ordem ecoaram em ruas do centro de Jacobina/BA na manhã da última sexta (28), um alerta contra as formas de opressão sobre classes trabalhadoras. Foi por volta das 8h30 que manifestantes caminharam pela Av. Orlando Pires, carregando faixas e cartazes com mensagens de repúdio às reformas e leis que ameaçam direitos trabalhistas conquistados historicamente. O protesto foi organizado por sindicatos, movimentos sociais, associações, servidores públicos e jovens de Jacobina/BA e municípios vizinhos.
Bloqueio de trecho da BR 324, em Jacobina/BA
A estimativa divulgada é de que, em média, mil pessoas participaram do ato, que bloqueou o trânsito de veículos em um dos trechos da BR 324 onde os/as manifestantes se concentraram, durante pelo menos uma hora. “É dia de greve geral para mostrar a insatisfação do povo brasileiro com medidas que atacam e destroem nossos direitos”, destacou uma das organizadoras, Maria da Glória Nascimento – diretora, em Jacobina/BA, do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB).
Após a saída da BR 324, o grupo retomou a caminhada, seguindo para a Rua Sen. Pedro Lago, onde protestaram em frente à Prefeitura Municipal. O ato foi encerrado na Praça Rio Branco, com falas políticas de organizadores/as em agradecimento pela adesão à greve geral, que em Jacobina/BA suspendeu aulas em diversas instituições de ensino e retardou a abertura de lojas do comércio, no manifesto que reivindica manutenção das condições dignas de trabalho e acesso à aposentadoria da classe trabalhadora.
“É um dia histórico em Jacobina (...) e nós vamos precisar de todos vocês, das mulheres, dos homens, dos trabalhadores, dos estudantes, inclusive, para o enfrentamento daqueles que não aceitam a gente parar a cidade por um dia em busca da garantia dos nossos direitos, para que não tenhamos retrocessos”, afirmou um dos representantes da Cooperativa de Trabalho e Assistência à Agricultura Familiar Sustentável do Piemonte (COFASPI), Farnésio Bráz.
As ações de protesto e paralisações ocorreram em diversas regiões do Brasil, na mobilização nacional convocada por centrais sindicais do país contra a reforma da previdência, reforma trabalhista e lei da terceirização. Propostas do Governo de Michel Temer (PMDB) que precarizam as condições de trabalho, permitindo a terceirização de atividades fins das empresas, aumento de jornada de trabalho, maior tempo de contribuição para receber aposentadoria integral, redução do tempo de intervalo para repouso/alimentação, além de autorizar mulheres grávidas a trabalhar em ambientes insalubres mediante apresentação de atestado médico, dentre outras medidas.

Texto e fotos: Luna Layse Almeida - Ascom/COFASPI